Éder Aleixo

O Bomba de Vespasiano

Èder Aleixo de Assis nasceu em Vespasiano em 25 de maio de 1957. Quando criança sonhava em ser igual ao seu conterrâneo e ídolo, Buião. Éder queria jogar como e onde Buião jogava; No Galo e na ponta-esquerda. Entretanto, Éder começou sua carreira no América Mineiro em 1975 onde se destacou. Em 1977 , transferiu para o Grêmio de Porto Alegre sob a indicação de Telê Santana. No Grêmio fez historia ao ser campeão Gaúcho em cima do Internacional em uma final emocionante. Em 1979 voltou a ser campeão.

Na Seleção juveni do Brasil em 1975 no Campeonato Sudamericano de Seleções. Éder é o primeiro a esquerda.

No Grêmio entre 77 e 80

Éder, campeão gaúcho em 77

Com Telê e Vantuir Galdino, ano considerado pelos gremistas "ano do renascimento do Grêmio" . Éder aparece logo ao lado da Taça de Campeão de 1977. Esse time fez história no sul!


Éder sempre teve a fama de rebelde e estopim curto. No Grêmio em 77 rebelou-se contra o regime de concentração imposta aos jogadores solteiros por Telê Santana e fugiu da concentração. Não o bastante, antes de fugir defecou nos sapatos do técnico. Mas apesar dessa passagem, Telê e Éder sempre tiveram bom relacionamento. Éder considerava Telê.um pai, ou melhor, um “paizão”. Telê o via como um grande talento o sob seu comando levou a Copa do Mundo de 1982.

Longe da famíla, o passa-tempo era escutar um som em POA


Em 1980, Éder chegou no Atlético, seu passe foi trocado com o de Paulo Isidoro. No Galo, chegou a Seleção e entrou para história como o maior ponta esquerda que o Galo já teve.  
Ele possuía um verdadeiro canhão de esquerda. Era conhecido também como o Bomba de Vespasiano.  Mas essa não era a sua única arma. Éder era habilidoso, driblava em velocidade e, por ter boa condição física, dificilmente perdia as divididas com os zagueiros adversários. Mas seus potentes chutes de fora da área eram sua marca registrada. Éder chegava a treinar mais de cem chutes a gol diariamente, o que acabou por lhe dar uma precisão imensa: comentava-se que conseguia por a bola onde quisesse. Éder foi o jogador brasileiro que mais recebia cartas em seu tempo. Cartas principalmente de mulheres em média 16 mil por mês. Pelo Galo, Éder conquistou cinco títulos mineiros (1980, 81, 82, 83, 89 e 95). Marcou 114 gols em 328 partidas

Éder em um Gol que entrou para a história do futebol Mundial e deu fama universal ao "Bomba de Vespasiano". Em 1982, Éder cobra a falta e solta uma bomba. Fidol(ao fundo) não pode fazer nada! Na Barreira argentina, Maradona se olha para ver o inacreditável.

Fidol pulou e não pôde fazer nada! Gol do Brasil na vitória por 3x1! Naquele momento, a Seleção de Telê despachava os até então campeões do mundo.

Copa de 1982 Espanha, Éder vibra após marcar um golaço na vitória de virada sobre a Escócia.

Time de Cobras de 82.

Sua foto na ficha da CBF em 1982. 11 do Brasil.... Éder, Éder, Éder!

Na Inter de Limeira

Buião(seu ídolo de infância), Éder, Paulo Roberto Prestes e o ex-presidente Nélio Brant



Free web hostingWeb hosting