Campeonato Brasileiro 1980

Depois do lançamento de Zico, Nunes marca aos 7 minutos do primeiro tempo. (Foto: Abril Press)

Paixões, violência, promessas de vingança, heróis, vilões, mocinhos e Bandidos. Esses são os  ingredientes perfeitos para uma grande novela de televisão. Mas foram alguns lances e personagens que protagonizaram a decisão do Campeonato Brasileiro de 1980, que monopolizou a audiência de todo o país e escreveram um dos mais belos, dramáticos e vergonhosos capítulos da história do nosso  futebol. 

    Também, a decisão de 1980 envolveu dois clubes de Massa: Atlético Mineiro e Flamengo. O primeiro jogo foi no dia 28 de maio de 80 no Estádio do MINEIRÃO e o GALO venceu os cariocas por 1X0, gol do Nosso Rei; REINALDO.  Empurrado por 90 mil torcedores, sob a luz de uma arbitragem imparcial de Romoaldo Arppi Filho e aproveitando a ausência de Zico, o Atlético impôs respeito com Chicão, teve o toque refinado de Palhinha, bombardeou com o canhão Éder e fuzilou com o REI, que no jogo fez uma das mais belas jogadas vistas até hoje no nosso futebol. Em uma jogada de  meio- campo  Reinaldo deu dois chapeuzinhos no habilidoso meio-campista Júnior, que caiu sentado após esse lance de gênio do REI.

     Precisando da vitória a qualquer custo, os cariocas partiram para cima antes mesmo do jogo começar, ao impor a escalação do" juiz" José de Assis Aragão.  O segundo jogo ocorreu no Maracanã, no dia 1 de junho daquele ano e empurrado por 154 mil torcedores o Flamengo conseguiu de forma fulminante marcar aos 7 minutos do primeiro tempo. Zico, deu um passe preciso para Nunes ficar cara a cara com João Leite e marcar na saída do goleiro mineiro. A resposta atleticana foi instantânea, quando a torcida flamenguista ainda comemorava o gol de Nunes, Reinaldo driblou três e empatou para o GALO aos 8 minutos do primeiro tempo.

Na foto: Reinaldo é expulso por Aragão.

 

 Enquanto a torcida carioca comemorava o gol de Nunes, Reinaldo empata para o Galo um minuto depois do gol flamenguista. Na foto Reinaldo e Palhinha(Atlético) e Júnior, Marinho e Andrade(Flamengo)(Foto cortesia de Guilherme TOG)

A equipe rubro-negra sentiu duramente o golpe, o zagueiro Manguito(que entrara na fogueira substituindo Rondinele) mostrava claramente sua intranqüilidade, cometendo faltas desnecessárias e errando lances  bobos. Zico, ainda sentia fortes dores na coxa que lhe tiraram do jogo do Mineirão e o meio-campo flamenguista pouco produzia. Mas foi nessa hora que apareceu José de Assis Flamengão o fator  de desequilíbrio da partida. Com a instabilidade da equipe carioca, o "árbitro" encarregou de inverter as faltas favoráveis ao Atlético, intimidar e enervar a equipe atleticana. Como bem disse o ex-jogador Luizinho: "O problema é que José de Assis Aragão intimidou nossa equipe invertendo faltas e nos pressionando, acabamos perdendo um título que erra dado com certo."  Além disso, o árbitro permitiu a violência por parte dos rubro-negros No final do primeiro tempo, após um bate e rebate a bola sobrou nos pés de Zico, que marcou Flamengo 2X1.

No Segundo tempo, o "juiz" José de Assis Flamengão continuou fazendo seu papel, isto é, tratava de entregar o jogo para os flamenguistas. E de tanto apanhar da zaga flamenguista, Reinaldo acusou sua velha e crônica contusão no joelho direito que aparentemente o tirava de combate. O Rei rastejava em campo, puxava a perna visivelmente. A torcida rubro-negra quis humilha-lo, e gritava: "Bichaaado, bichaaado!". Porém,  Reinaldo mostrou que quem é Rei nunca perde a majestade e aos 22 minutos do segundo tempo aproveita um cruzamento de Éder marca na pequena área Atlético 2X2 Flamengo. Sem condições físicas para continuar, Reinaldo seria substituído, porém, o juiz novamente interfere no destino da partida e expulsa o Rei antes que a substituição se realizasse, alegando "cera" por parte dos mineiros.

   E mesmo com um jogador a menos, o GALO continuou bem postado em campo. Entretanto, aos 37 minutos quando o Atlético tentava um contra-ataque que poderia definir o jogo a seu favor o juiz paralisa a partida e marca um impedimento no meio de campo. Os jogadores e comissão técnica do Atlético ficam revoltados. O técnico Procópio é expulso. No reinicio da partida, enquanto os jogadores mineiros ainda reclamavam do lance anterior, Nunes avançou pela esquerda driblou o zagueiro Silvestre e marcou o gol redentor do Flamengo. Após o gol de Nunes, José de Assis Aragão expulsa Palhinha e Chicão por reclamações. E mesmo com 8 jogadores em campo o Galo teve uma última chance já nos descontos, quando Éder chutou uma bomba que o goleiro Raul salvou de forma milagrosa. Final 3X2 Flamengo. 

Aos 37 do segundo tempo, Nunes marca o gol da injustiça. (Foto: Lancenet)

Justiça? Infelizmente, não! Pois nem sempre os mocinhos vencem os bandidos, pelo menos no futebol!

Flamengo 3X2 Atlético Mineiro
Flamengo: Raul, Toninho, Manguito, Marinho e Júnior; Andrade, CarpegianiI (Adílio) e Zico; Tita,Nunes e Júlio César(Carlos Alberto)       Técnico: Claúdio Coutinho. Local: Maracanã, Rio de Janeiro

"Juiz": José de Assis Aragão

Público: 154 355

Renda: Cr$ 19 7269 210

Atlético: João Leite; Orlando (Silvestre),Osmar, Luizinho(Geraldo) e Jorge Valença; Chicão, Toninho Cerezo e Palhinha; Pedrinho,Reinaldo e Éder.   Técnico: Procópio Cardoso
Gols: Nunes 9 e Zico 44 minutos  do primeiro tempo. E Nunes 37 do segundo tempo. Cartões:

Vermelhos: Reinaldo, Palhina e Chicão (Atlético)

Gols: Reinaldo 8 minutos do primeiro tempo e 22 minutos do segundo tempo.

Fontes: Revista Placar(números: 526, 527 e 850), Jornal O Estado de Minas e Depoimento de torcedores. E fotos cedidas gentilmente por Guilherme-TOG.