Campeonato Brasileiro 1977

Na manhã ensolarada de 5 de março de 1978, Belo Horizonte via na Praça 7 um desfile de carros decorados com as cores do GALO, equipe que certamente igualaria os feitos de Internacional e Palmeiras e se tornaria BICAMPEÃ do Brasil. De fato toda essa euforia tinha razão. O GALO fazia no Campeonato Brasileiro  de 1977 uma campanha irretocável. A equipe estava invicta, em 20 jogos havia vencido 17 e empatado apenas 3 partidas.

    No entanto, à tarde a alegria deu lugar à uma tristeza profunda, que só pode ser comparada ao quadro ocorrido no Maracanã quando o Brasil perdeu a Copa do Mundo de 1950 para o Uruguai. Depois do jogo final, os jogadores do Atlético deixaram o gramado do Mineirão abraçados, após uma derrota que parecia impossível. A triste cena é acompanhada por mais de 100 mil atleticanos. Inconformada a MASSA não acreditava o que estava vendo. O time do GALO, indiscutivelmente o melhor do país, acabava de perder o título de brasileiro após a decisão por pênaltis, diante do São Paulo.

Após o jogo a equipe atleticana deixa o gramado do Mineirão abraçada.

    O jogo foi feio, sobretudo por parte do São Paulo que desde o início queria levar a decisão para os pênaltis. Os zagueiros são-paulinos Getúlio e Antenor marcavam duramente os pontas  mineiros.   Tecão, que tivera sua tarefa facilitada pela ausência de Reinaldo, marcava o centro-avante. Enquanto isso, Bezerra ficava como um líbero. No meio-campo, Dario Pereira perseguia Cerezo (jogador Bola de Ouro de 1977), Teodoro marcava Ângelo e Chicão fazia o mesmo com Marcelo. Peres colou em Paulo Isidoro e na frente Viana e Zé Sérgio, mesmo sendo atacantes, faziam a primeira marcação. Com a retranca do São Paulo, o GALO que tinha uma equipe muito jovem (com média de idade de 22 anos) se enervou e não conseguiu marcar um gol que lhe daria o título no tempo normal. Na prorrogação e o quadro não mudou e o  São Paulo chegou aonde queira: As cobranças de pênaltis.

Dario Pereira fez uma marcação implacável sobre Cerezo e por vezes, não  poupou o atleticano de jogadas violentas. 

Teodoro(S. Paulo) disputa com Ângelo, Toninho Cerezo e Márcio(de costas). Um jogo duro da parte paulista, porém honestamente disputado pelos mineiros. Ao fundo Marcelo e o juiz, Arnaldo César Coelho. 
No auge do temporal, o jogo não esfriou. Márcio, Caio, Tecão, Chicão ,Marcelo e Bezerra(ao fundo)  travaram uma batalha sob a forte chuva que caiu naquela tarde.

    Mesmo nos pênaltis, o GALO era favorito. Isso porque o Galo tinha João Leite o "João de Deus" que já na época era conhecido por ser um grande pegador de pênaltis.  E ele começou bem, pegou as duas primeiras cobranças do São Paulo. Mas o Atlético pagou por ter uma equipe muito jovem,  Waldir Peres (Goleiro brasileiro na Copa de 82) catimbou o máximo e provocou  os erros de Cerezo, Joãozinho Paulista e Márcio.  No final das cobranças de pênaltis o São Paulo conseguiu ser  melhor que o Atlético, coisa que nunca fora no em todo campeonato e mesmo no jogo final.  

 

O Goleiro João Leite não foi exigido durante a partida. Nos pênaltis, mesmo com a derrota atleticana ele foi um grande herói,       defendendo duas   cobranças São-paulinas.   Na foto, João Leite e o Zagueiro atleticano Márcio.
O São Paulo usou da violência para barrar a técnica atleticana.
O atacante Zé Sergio teve muito trabalho com o jogador atleticano Valdenir.

 

Atlético Mineiro 0X0 São Paulo
Atlético Mineiro: João Leite,Alves, Márcio, Vantuir e Valdemir; Toninho Cerezo, Ângelo e Marcelo(Paulo Isidoro); Serginho, Caio(Joãozinho Paulista) e Ziza. Téc.: Barbatana

Local: Mineirão

Data: 5 de março de 1978

Juiz: Arnaldo César Coelho

Público: 102 974

Renda: Cr$ 6 857 280

São Paulo: Waldir Peres, Getúlio, Tecão, Bezerra e Antenor; Chicão, Teodoro(Peres) e Dario Pereira; Zé Sérgio, Mirandinha e Viana(Neca). Téc.: Rubens Minelli.
 OBS: Na prorrogação 0X0. Nos pênaltis Atlético 2X3 São Paulo. Marcaram: para o Galo: Ziza e Alves e para o São Paulo: Peres, Antenor e Bezerra.  

 

O jogo teve seu prosseguimento mesmo em meio a lama que transformou o gramado.

 

Para efeito de comparação veja a campanha dos dois clubes. O regulamento de 1977, não deu ao Galo nem o direito de empatar a partida decisiva.

 
Pontos
Jogos
Vitórias
Empates
Derrotas
G P
G C
Saldo
São Paulo
39
21
13
4
4
40
15
25
Atlético
49
21
17
4
0
55
16
39

 

A Final do Campeonato Brasileiro de 1977

Os jogadores  do São Paulo comemoram a vitória nos pênaltis que deu ao time paulista o título de Campeão Brasileiro de 1977.  A direita, o goleiro João Leite é a imagem da desolação. Todo enlameado sai derrotado do gramado do Mineirão.

Fonte: Revista Placar (n.850), Revista Manchete Esportiva (n.21) e Depoimentos de Torcedores. Fotos Bloch Editores.

Veja o video das cobranças de penaltys